O Papel Atual do Administrador

Entenda o que o mercado espera do profissional dessa área e como a faculdade o prepara para a carreira

O administrador é o profissional que resolve estrategicamente os problemas de uma empresa. É ele quem ajuda a companhia a alcançar seus objetivos no dia a dia de maneira rápida, com qualidade e com o menor custo possível. Fundamental em praticamente todas as instituições, desde as privadas até as organizações não governamentais, esse profissional tem uma ampla área de atuação. Mas para se destacar para valer no mercado, é necessário entender a dinâmica da carreira e apostar em uma faculdade de renome.

Perfil do profissional

 

Quem quer seguir a carreira de administrador deve ter várias habilidades. É importante, por exemplo, saber interpretar dados de maneira inteligente. “Não dá para ficar só nos ‘achismos’. É necessário ter uma boa formação analítica para lidar com os números”, explica Luciana Yeung, professora e coordenadora da graduação em Administração e Economia do Insper. Ter espírito de equipe, saber trabalhar com pessoas em diferentes posições e conseguir transmitir suas ideias de maneira clara são outros pontos ressaltados na personalidade dos futuros administradores.

 

Não existe o profissional que já nasce pronto. É a boa faculdade que molda o estudante para que ele se torne adequado para o mercado. “O aluno que vai se dar bem no curso de administração é aquele que se engaja nos projetos, tem curiosidade e busca sempre saber mais. Tenha na cabeça que você vai ser aquele que ‘veste a camisa’ da empresa. Se isso não combina com seu perfil, não aposte”, comenta.

Em relação às áreas de atuação, o leque de opções é amplo. O administrador pode ser desde um gestor geral de uma empresa até um profissional focado em determinados setores, como logística ou marketing digital. Também é possível trabalhar com recursos humanos, finanças, tecnologia. São diferentes atuações, mas sempre tendo como foco principal a resolução de problemas.

 

A escolha do curso

Por ter uma grande variedade de atuações, o curso de Administração acabou ganhando a fama de ser uma faculdade para quem não sabe qual carreira seguir. Essa alcunha, porém, passa longe de estar correta. “Isso não é uma característica apenas do administrador, pois ocorre o mesmo em outras áreas”, afirma Luciana. “São poucas as pessoas que de fato entram no curso sabendo exatamente o que querem fazer. E mesmo as que já sabem têm grandes chances de mudar de ideia ao longo do caminho”.

Além do leque de áreas, Administração também é conhecida pelo grande número de faculdades que ofertam o curso. São cerca de 2 mil universidades, segundo o Censo da Educação Superior do Inep/MEC. “Quando existe uma quantidade enorme de instituições que oferecem a formação, o nome da faculdade pesa na contratação. Na verdade, o primeiro filtro é esse. Existe até anúncios de estágios e trainees que só aceitam estudantes de determinadas universidades”, afirma Luciana.

Isso não significa, entretanto, que saindo de uma boa faculdade você já está garantido. Esse é apenas um atalho. “O nome da faculdade tem relevância, mas é preciso ir além. Uma boa instituição consegue oferecer uma experiência diferenciada para os alunos, possui professores bem preparados e acaba atraindo estudantes que buscam uma formação sólida. Mas a agilidade mental, atitude e inovação devem ser algumas das características inerentes ao profissional para que ele possa potencializar o que a universidade oferece”, diz André Luiz Goncalves, gerente geral de relações com investidores da Fibria, empresa de produção de celulose de eucalipto.

Outras características que atraem os empregadores na contratação são: cursos extracurriculares, experiências vividas em intercâmbios, trabalhos voluntários e prática de esportes e lazer. Todos estes pontos sinalizam a aptidão do aluno por uma vida repleta de valores e objetivos.

 

Panorama do mercado

Por mais que o Brasil esteja passando por um período de crise, sempre há espaço no mercado de trabalho para bons profissionais. Ainda mais para aqueles que, por natureza, sabem lidar com resoluções de problemas. “Empresas que se deparam com desafios em seus mercados de atuação ou em sua estrutura de capital estão propensas à otimização dos negócios. É exatamente nesse cenário que estão as oportunidades para os administradores tomarem ações transformadoras”, revela André.

Acompanhando a tendência do macro, com muitas áreas de atuação e muitas ofertas de cursos, o Brasil é um país com uma economia enorme e que, independentemente da situação atual, vai sempre precisar de bons administradores para gerir empresas. Cabe a você procurar uma boa formação e ser proativo para ser tornar um profissional de sucesso na área.

Privatização do FIES Aumentará Custo de Financiamento para Estudantes

O ministro da Educação, Mendonça Filho, tem sinalizado que quer a entrada dos bancos privados no financiamento estudantil. A informação, veiculada nesta terça-feira, 30, na coluna "Lauro Jardim", significa, na prática, aumento do custo do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para os alunos beneficiários do programa.

Além disso, representa a privatização de parte do Fies. Atualmente, o programa é feito exclusivamente por bancos públicos: Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. As taxas de administração, que variam entre 1,5% e 2% ao ano, são muito menores do que as aplicadas no mercado em programas privados de financiamento estudantil.

Para abrir o Fies à iniciativa privada, Mendonça Filho vai precisar aumentar as taxas de administração do programa, o que implicará em que os alunos paguem mais pelo financiamento realizado. O governo Dilma Rousseff descartou, em março, a entrada de bancos privados do Fies.

Na ocasião, representantes da Febraban informaram ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fnde), órgão vinculado ao Ministério da Educação, que consideravam as taxas de administração do programa muito baixas. Ao longo da negociação, a Febraban também considerou o perfil dos beneficiados de alto risco.

Mais de 2,2 milhões de pessoas já tiveram acesso ao ensino superior no Brasil por meio do Fies. Só no primeiro semestre deste ano, foram oferecidas 250 mil vagas no programa. O Fies é responsável por mais de 30% das matrículas no ensino superior privado no país.

De acordo com as regras atuais, podem se inscrever para concorrer a um contrato do Fies o estudante que fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e obteve média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos, além de nota na redação diferente de zero.

Além disso, é critério possuir renda familiar mensal bruta per capita de até dois salários mínimos e meio. Não pode participar do programa quem já tem um diploma de ensino superior.

Definidas as regras para oferta de vagas pelas instituições e para a inscrição de estudantes

Em portaria publicada nesta sexta-feira, 3, a Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação regulamenta a seleção dos estudantes e os procedimentos para participação das instituições de educação superior na edição deste segundo semestre do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

 

A portaria estabelece, para as instituições interessadas em participar do Fies, que as propostas de oferta de vagas para o semestre, mediante assinatura de termo de participação, devem ser apresentadas a partir de segunda-feira, 6, até o dia 17 próximo. As propostas das instituições serão submetidas à aprovação da Sesu, que adotará critérios de qualidade, consideradas as áreas prioritárias e a regionalidade, para selecionar as 61,5 mil vagas de financiamento que serão abertas para contratação neste semestre.

 

Para os estudantes, podem se inscrever no processo seletivo do Fies, em data a ser definida em edital, aqueles que não tenham concluído curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010, com nota mínima de 450 pontos e nota na redação que não seja zero. Será necessário comprovar renda familiar mensal bruta per capita de até dois e meio salários mínimos.

 

Independentemente de terem participado do Enem, podem concorrer ao financiamento os estudantes que concluíram o ensino médio antes de 2010 e os professores integrantes do quadro de pessoal permanente da rede pública de ensino, em efetivo exercício do magistério da educação básica, desde que se inscrevam em cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Eles serão classificados de acordo com o perfil socioeconômico.

 

Como ressaltara o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, na semana passada, terão prioridade os cursos considerados de maior qualidade, considerado o conceito do curso obtido no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). “Os cursos de maior qualidade receberão particular ênfase, pois assim se garante que os estudantes estarão pagando, e o país estará financiando, cursos que serão melhores para a sua formação”, disse o ministro.

 

Desconto — A portaria da Sesu regulamenta ainda o abatimento de 5%, concedido pelas instituições, nos valores das mensalidades a serem financiadas com recursos do Fies. Esse percentual incidirá também na parcela da mensalidade a ser paga, diretamente à instituição de ensino, pelo estudante aprovado no processo seletivo referente a este segundo semestre.

 

A Portaria Normativa nº 8/2015, que dispõe sobre a segunda edição de 2015 do Fies, foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 3. O edital de seleção, com o cronograma de inscrições, será publicado ainda este mês.

 

Assessoria de Comunicação Social - Portal do Mec

Aula Inaugural do Curso de Marketing e Negócios

Evento contou com um público direcionado e de um excelente conteúdo ministrado pelos palestrantes.

Foi realizada no último dia 26 de maio a aula inaugural do curso de Pós-Graduação de Marketing e Negócios, oferecido pela Business School da Fameplan, tendo como destaque a presença de dois palestrantes de renome no cenário catarinense.

 

Os alunos puderam ter, como início dos seus trabalhos no curso, uma aula sobre a relação emocional que as pessoas em geral, que os consumidores em potencial de um produto, fazem com uma determinada marca e, que influências essa relação exercem nas suas escolhas e nos seus hábitos de consumo, ministrada pela Coordenadora de Comunicação e Marketing do Beto Carrero World, Malu Barreto. Logo na sequencia, os alunos desfrutaram de um tema mais direcionado ao empreendedorismo, ministrado pelo Deputado Estadual e prefeito por dois mandatos de São Bento do Sul, Silvio Dreveck, onde o mesmo ministrou conhecimentos de como as políticas públicas tangem os desafios de ser empreendedor, além de passar um pouco da sua vasta experiência como administrador e gestor.

 

Os alunos puderam ainda desfrutar de um momento de descontração e interação com os palestrantes ao conhecerem o ambiente onde serão realizadas as aulas, aproveitando esse momento para pequenas conversas e para um pouco mais da opinião dos palestrantes sobre diversos temas.

 

Com isso, a Fameplan dá mais uma passo na consolidação do seu modelo de escola de negócios, onde a intenção é direcionar a preparação do aluno para o mercado de trabalho, aplicando conhecimento prático dado por profissionais que atuam nas disciplinas que são ministradas. Desta forma ganha tanto o aluno, que não sente que aprende somente uma teoria que não sabe se lhe será útil no futuro e, ganham também as empresas, quando recebem um profissional atualizado e direcionado para suas reais necessidades.

 

Confira algumas imagens do evento:

FAMEPLAN lança Business School em Canoinhas

No início de abril, a Fameplan – Faculdade Metropolitana do Planalto Norte, colocou em funcionamento o modelo de Business School em todos os seus cursos de pós-graduação oferecidos em Canoinhas. Inspirada nas mais renomadas Universidades de Administração da Europa e dos Estados Unidos, a ideia é focar o ensino na preparação para o mercado de trabalho, desenvolvendo um ambiente propício para aliar conhecimento e experiências práticas de gestão.

 

Para isso, a Fameplan precisou adequar as grades curriculares e oferecer disciplinas mais voltadas ao dinamismo que os negócios exigem nos dias de hoje. “Esse trabalho nos colocou em contato com diversas empresas da região, tornando possível direcionar nossos cursos ao que realmente fará a diferença na hora de conquistar um emprego e evoluir na carreira”, comenta Elis Regina Roeder, secretária executiva da Fameplan.

 

 

Além disso, um pacote de diferenciais foi implantado para dar sustentação à Business School. Entre eles, o mais importante é a formação de um corpo de professores com atuação profissional destacada em empresas da região, aliando formação acadêmica e vivência real do que é tratado em sala de aula. Complementam o conceito: sala exclusiva para a pós-graduação, em formato meeting; sala de reuniões; wi-fi banda larga; quadro digital; recursos multimídia dedicados; suporte da Advance English School; biblioteca atualizada e com foco em negócios; e outros. Cursos de extensão opcionais, eventos de networking e visitas de estudos também farão parte da formação dos alunos.

 

O primeiro curso a aplicar o conceito de Business School é a Pós-graduação em Marketing e Negócios, que está com matrículas abertas e deve iniciar as aulas em maio de 2015. A Fameplan recebe visitantes para demonstrar com mais detalhes os diferenciais do novo conceito das 13h às 22 horas, de segunda a sexta-feira, na Rua Felipe Schimidt, 1355.

Faculdade traz para a região conceito de “escola de negócios” em seus cursos de pós-graduação